3 capitais suspendem aplicação da 1ª dose da vacina contra a Covid

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Três das 27 capitais brasileiras paralisaram a aplicação da 1ª dose da vacina contra a Covid-19 nesta quarta-feira (14) por falta de doses. São elas:

  • João Pessoa (que também deixou de aplicar a 2ª dose);
  • Rio Branco
  • e Salvador

Já Curitiba suspendeu a aplicação da 1ª dose para pessoas com 66 anos ou mais, que havia começado nesta terça-feira (13). Outros grupos que já vinham recebendo a primeira dose devem continuar sendo imunizados.

E em Natal faltam doses da CoronaVac, uma das duas vacinas disponíveis no Brasil. A cidade continua fazendo aplicações com a vacina de Oxford.

Em 9 de abril, ocorreu paralisação em duas capitais, quando Curitiba e Goiânia alegaram falta de imunizantes. No mesmo dia, Brasília, Fortaleza e Macapá, com vacinação parada até então, normalizaram o serviço. Em fevereiro, o número de capitais afetadas pela falta de doses atingiu oito, com restrições ou sua suspensão.

O Ministério da Saúde informou, em nota, trabalhar “incansavelmente para ampliar a vacinação em todo país, mas a escassez de vacinas é uma realidade mundial. Mesmo assim, com as doses já confirmadas para chegarem neste’ mês, o Ministério prevê que 1 milhão de brasileiros sejam vacinados diariamente”. O órgão disse ainda: Os números previstos mensalmente são estimados de acordo com as previsões contratuais. No entanto, existem variáveis que não dependem do Ministério, como a aprovação de vacinas pela Anvisa, a velocidade de produção dos fabricantes e a importação de vacinas e insumos para a sua produção”.

Natal

Aplicação da 1ª e 2ª doses é feitaa apenas com a vacina da AstraZeneca. Desde segunda-feira (12), não há mais doses da CoronaVac devido à reserva técnica para aplicação da 2ª dose do imunizante. Governo potiguar diz esperar novas doses do Ministério da Saúde para normalizar os serviços.

Curitiba

Aplicação da 1ª dose para pessoas a partir de 66 anos, iniciada na terça, foi suspensa. Pessoas a partir de 67 anos seguem recebendo o imunizante. A 2ª dose também continua a ser aplicada. O governo do Paraná e a Prefeitura de Curitiba afirmam que as vacinas enviadas pelo governo federal acabaram.

João Pessoa

Aplicação da 1ª e da 2ª doses foi suspensa por falta de vacina, o que causou tumulto nesta terça. O governador da Paraíba, João Azevedo (Cidadania), disse em uma rede social que o estado deve receber novas doses neste sábado (17). Ele citou “a manutenção do fluxo de entregas por parte do Ministério da Saúde” como ponto importante para dar sequência à imunização.

Macapá

Por causa da falta de doses, Macapá passou a vacinar apenas os idosos que já estavam com a 2ª dose agendada – ofertou também a 1ª dose somente para idosos acima de 60 anos que, por algum, tinham motivo faltaram às convocações anteriores. A prefeitura também interrompeu a vacinação de quilombolas por causa de fura-filas. Além disso, a vacinação de pessoas de 18 a 59 anos com comorbidades e profissionais das forças de segurança, que já tinha começado, foi paralisada em razão do esgotamento das doses enviadas pelo Ministério da Saúde.

Rio Branco

Parou de aplicar a 1ª dose por falta de vacinas nesta terça. A 2ª dose continua a ser aplicada. Esta é a quarta paralisação na cidade por falta de doses, segundo o governo do Acre e a prefeitura da capital do estado. Não há prazo para normalização. O secretário municipal de Saúde de Rio Branco, Frank Lima, afirmou que aguarda uma nova remessa de imunizante do Ministério da Saúde para retomar a vacinação.

Salvador

Aplicação da 1ª dose está suspensa para todos os públicos, mas a 2ª dose continua. A previsão é que a retomada ocorra nesta quinta-feira (15), quando está prevista a chegada de uma nova remessa de vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde.

 

FONTE: Por Tácita Muniz (G1 AC), John Pacheco (G1 AP), Gabriel Gonçalves (G1 BA) e Pedro Brodbeck (G1 PR)